Lugares e pessoas.

Este texto é uma tentativa de me colocar no meu lugar, ou não

Há lugares que parecem o idealizado paraíso, daqueles que dilatam as pupilas da alma, neles tiramos mil fotos como se pudéssemos tirar um pedacinho deles, eternizar, quando na verdade, são eles que nos tiram da real.

Banho de mar, pular ondas, vento no cabelo, sol na pele, cores naturais da natureza, paisagens que nos fazem enxergar além das vistas, através das ruínas.

Em cada ponto um encontro, lugares que nunca imaginei estar, que exalam inspirações, onde se esquece do tempo, lugares de alento.

Até me questiono: Nossa mereço estar aqui? Desejo, que esses momentos nunca acabem. Lugares que trazem serenidade.

Hoje falo de férias, mas poderiam ter outros nomes como colo, amizade, paixão. Mas, tais paisagens não dão para fotografar, nem tudo a lente consegue capturar.

Passeios e pessoas acabam, mas tudo o que provocaram em nós não, mesmo em um tempo distante, estão eles lá registrados no baú de nossas almas.

Algumas fotos deixamos desbotar e empoeirar, outras colocamos nos portas retratos. Já os lugares (e pessoas), ah eles continuam para quem ousar em passar.

Estou em tratamento para a depressão há um ano e três meses. Coincidência ou não, essa é uma das poucas vezes que aproveito as férias na íntegra, quero dizer, que estou presente no lugar onde estou. Que estou curtindo sem culpa e superficialidade.

Se vocês lerem os textos O show vai continuar e Turista Protagonista da férias de julho do ano passado sentirão claramente a mudança de humor. Imagino que a minha família agradece, a ranzinzice diminuiu. Até aprendi a fazer uns truques com minha testa grande, eles riram demais, tinha esquecido que eu podia fazer graça.

Sinceramente não posso dizer qual desses sentimento é o mais produtivo para a raça humana: o de êxtase ou o crítico. Estou me divertindo mas não deixei de ver as desigualdades sociais e a exploração comercial que gritam a cada esquina. Isso me corrói.

Mas há tantas questões nessa vida que não temos respostas, não é mesmo?

Nem por isso devemos ficar nos escondendo como um escudo protetor. Somos o que somos, temos o que temos, e pronto. O mais é procurar por desenvolvimento, nisso tanto o tratamento quanto a filosofia tem me ajudado muito.

Por hora só posso dizer que o antidepressivo e a terapia estão me permitindo levar uma vida mais leve, com menos cobrança, e acima de tudo ter mais gratidão por tudo o que a vida tem me oferecido entre uma paisagem/pessoa e outra.

Por isso, hoje, não me envergonho de compartilhar algumas fotos dos lugares que tive a dádiva de pisar. Sabendo que eles são muito menores do que qualquer pessoa que lhes habitam.

Os seres, seus egoísmo ou altruísmo, hão de passar, os lugares continuam a nos contar histórias.

Ilha de Capri na Itália.
Alberobelo na Itália

Catedral de Otranto na Itália
Praia de Sant’Andrea, Itália.

Acrópole, Grécia.
Acrópole, Grécia.
Monopoli, Itália
Coliseu, Itália
Limões Siciliano, Sorrento na Itália.
Coliseu, Itália.
Vulcão Vesúvio, Itália
Teto da Catedral de Otranto, Itália.
Pôr do sol em Monopoli, Itália.
Capri, Itália.
Acrópole, Grécia.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

23 comentários

  1. Sempre viajo nas viagens dos/as blogueiros/as,que sigo…nestas suas a viagem é para a história e a memória…mas, copiei duas delas (bucólicas)…a irmã natureza me fascina…posso usá-las no meu blog com os devidos créditos? Paz e Bem!
    PS. como dica, seria interessante que você ilustrasse abaixo das fotos para sabermos que lugares são.

  2. Excelente texto. Adorei e senti parte do que falou e alguns momentos. Estou feliz por você e o tempo que for necessário usar remédios e terapia, devemos continuar. Algumas pessoas tem a falsa ilusão e esteriótipos de que o depressivo fica na cama chorando e só querendo morrer. Um comentário aqui inclusive fala isso. Pode ser que essa pessoa esteja assim, mas ela deve saber que nem todos são assim. Informação é essencial para poder falar algo que não conhece.
    Fique bem ❤️

  3. Claro Alda, você fecha os olhos com bastante força, ela vai descer toda, aí você dá umas três franzida rápidas com a testa e finaliza com com uma torcida de olhos rsss, espero que dê certo.

  4. Olá Estevam seguirei suas dica de nomear os lugares. Fique livre para copiar, foi difícil decidir qual foto usar, as paisagens querem falar através de nós e falam conosco. Caso precise de fotos de algum desses lugar específico para suas aulas, me escreva no email que está na página de abertura do blog, que te enviou. Obrigada e abraços.

  5. Concordo contigo MariaLDário, estive dias assim completamente sem energia e vontade de viver antes do tratamento, o qual já estou fazendo há 1 ano e meio. Inclusive esse blog surgiu por isso, se ler meus primeiros textos aqui vai perceber que relato timtim por timtim meus dias tristes, como agora tenho relatado os felizes. Abraços e bom domingo.

  6. Oi J.Junior, estou ficando bem, tem dias que estou excelente e outros caída como qualquer um de nós. A diferença pós tratamento é justamente essa que você disse, sentir vitalidade, inclusive quando estou com a cabeça no travesseiro. Na depressão não há energia, nem esperança, nem gratidão. Uns tempos atrás publiquei sobre o Depressivo Feliz, quem em muitos casos se difere de quem está se recuperando pós episódio da depressão. Pois, ele é aquela pessoa que aparentemente está tudo bem, mas… estes correm mais risco de suicídio como foi o caso de Robin William. Enfim, cada caso é um caso. Boa semana que se aproxima e fique bem também.

  7. Belíssimas fotos!
    Estive no paraíso da 11 hoje. Em soiaggia del puntiveddha. Indo daqui a pouco p Alberobello.
    O q eu sinto é exatamente o q vc descreveu perfeitamente. Bjs

  8. Obrigado Cris pelo despojamento de ceder as fotos… se eu precisar, não hesitarei em solicitá-las… paz e bem e boa semana.

  9. Obrigado Cris…. a dica é apenas para facilitar aos leitores, que ainda não foram à Itália ou Grécia, iguais a mim…kkkkk

  10. Não vi Estevam, talvez seja porque leio os blogs no leitor do celular, quando me chegam as atualizações. Vou fuçar lá pelo PC. O Vesúvio foi um dos lugares mais marcantes que estive, saber tudo o que ele foi e representa. Abraços.

  11. Lindas fotos! Paisagens maravilhosas mesmo.
    Que bom que tem conseguido se manter no presente.

  12. Que bom que elas te tocaram e que você nos dá notícias. Vi que agora você também está bem ligada ao presente, com o curso e o skincare, aos poucos vamos nos aproximando do que realmente significa. Basta ter a energia vital em funcionamento né. Abração.

Que tal deixar a sua opinião?