Despir à deriva.

Barco à deriva.

Quantos estão ali?
Em silêncio
Observo da sacada
O que fazem?
Hora de jantar
Amor?
Flutuam na imensidão
Como eu
À desejar calmaria
Frita no azul
Que me olha
Sem me entender
Somos um
Toca o sino
Sem parar
Mas só escuto o trânsito
E o som dos Despacitos
Enquanto há o eterno retorno
Ondular das ondas
Não sei dançar
Nem cantar
Nem nadar
Só sei olhar para o mar
E entender
Que nada sei
Grande azul
Diante dessa aqui
Sua pequena e nua

Cris.

Este trabalho está licenciado uma Licença

Creative Commons

Atribuição 4.0 Internacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.