Estranha no corpo.

Meu tio era andarilho.
Minha tia tinha esquizofrenia.
Quando minha avó estava bem de saúde, ela sempre fugia.
Meu pai por ciúme bebia.
Minha mãe cada vez mais temia.
Meu irmão fugiu aos 14.
Na outra vóvozinha que minha irmã mais vivia.

Meu tio morreu na sarjeta.
Minha tia nunca teve morada.
Minha vó se entregou ao AVC.
Meu pai diz dia-a-dia: só por hoje não beberei.
Minha mãe virou uma fera indomável.
Meu irmão adequou-se como viajante.
Minha irmã fugiu pra formar sua família.

Eu? Ah eu? Sempre tentando ser a normal, nunca tomei postura.
Sim eu, a coluna do meio, nunca entendi o existir. Fico por aí com esses olhos caídos esperando a queda final.

Me disseram que a morte não existe
Que a vida é eterna
Eterna também é a ilusão
Essa de ser normal.

Lá em casa somos unidos
Pelo o que o mundo não gosta de ver
Estamos na roda de Darwin
Com o terço na mão.

Que se ajoelhem os famigerados
Que nunca passaram por isso
Os inabaláveis e indestrutíveis humanos.

Que se levantem as famílias geradas
Pela realidade
Destrutivéis e abalavéis
Passantes

Passem bem.

Este trabalho está licenciado com uma Licença

Creative Commons –

Atribuição 4.0 Internacional

18 comentários

  1. Estou com três poemas sobre os ‘manicômios’ de Barbacena para publicar…estava com dúvidas de quando e qual poesia em publicaria esta semana, já que publico uma vez por semana, em média. Cristileine e Alda me ajudaram…Barbacena é minha terra natal…mas, para além da loucura, também, é cidade das rosas…abraços ás duas amigas blogueiras…obrigado.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Moramos em nós mesmos e (sobre)vivemos nesta vida a fugir da ultima morada, mas sabemos que dela viemos e tornaremos ao pó que sempre fomos e seremos. Mas ainda assim me resta a canção:’ morena quem te contou/ que esta noite serenou/ deitado no teu colo, serenou e não me molhou/ não me molhou’

    Curtido por 1 pessoa

  3. Na espera da sua poesia. Qual a época da floração da Rosa aí? Aqui já começou. Ah, as crianças disseram que o jogo foi o assunto da escola, ficaram desolados. Falando em loucura, já assistiu o filme Nise no coração da loucura? Se não, recomendo fortemente. Abraços.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Não assisti ainda. Vou ver se assisto nas próximas férias…em julho tenho férias de uma das escolas… os alemães ficaram desolados? Em Barbacena, as rosas de estufa florescem o ano todo, mas, o período mais produtivo é entre setembro e abril…

    Curtir

  5. Baita texto! Afiada e afinada. 🙂

    Segue um livro interessante que me veio em mente:
    “Normose” – Sobre a necessidade de superar as anomalias da normalidade – opiniões, atitudes, comportamentos e hábitos, dotados de consenso social e patogênicos, em diversos graus de intensidade.

    Tenho o e-book no meu blog.

    AbrasOM

    Curtido por 1 pessoa

  6. Ontem mesmo já baixei esse, o poemas de Rumi e o Herói de Mil faces. Nossa, muito obrigada por esses compartilhamentos. Estou certa de que você está fomentando o crescimento espiritual de muitas pessoas. Super abraços, Cris.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Poxa Cris… que fico feliz e agradecido. Que estes textos te tragam belos insights.
    Mesmo que não leia o livro todo, vale o voo, conhecê-los. 😉
    AbrasOM
    Adri

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.