Aprendendo a dirigir.

Dirigir a dor.

O fato é que você vai chorar
vai perder o rumo
vai perder o ar
vai doer o peito
vai querer voar
vai ficar sozinha
com a baba a engasgar
vai te arder os olhos
vai se debulhar
vai rolar na cama
nariz a pingar
vai pensar horrores
vai querer orar
vai sentir o encéfalo
querer vomitar
vai pulsar artérias
vai amarelar
vai somar olheiras
vai desnortear
vai ter pesadelo e
vai acordar
vai cair de joelhos
vai se alterar
vai desprezar beijos
vai querer beijar
vai viver a luta(o)
vai se superar
vai saber dar ré
vai recomeçar.

À dor esse som:

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

9 comentários

  1. Vai viver a luta (o)….eita labuta que não cessa… e luto que continua…um luto vivido jamais será esquecido…uma luta vivida já estará vencida, mesmo que perdida…

  2. É assim mesmo e vai-se vivendo, sempre recomeçando e abrandando as dores ou aprendendo a conviver com elas. Excelente poema.

Que tal deixar a sua opinião?