Vozes.

Vozes das mães de luto
Tão fortes quanto as dos filhos que
Perderam um dos pais por suicídio/

Vozes das mães segurando
A barriga grávida e com fome… fome das diversas fome.

Vozes das mães com a barriga vazia, barriga que não segurou o bebê/

Vozes da mãe do bandido que preferiria seu filho morto do que matador/

Vozes dos filhos que se sentem oprimidos com, ou pelas, dores dos progenitores/

Vozes que não queríamos ouvir, do eu que conosco con(vive) todo dia/

Vozes de julgamento, daqueles que usam saltos bolorentos/

Vozes da mídia que dita as rimas para nossa vida/

Vozes do silêncio roubado

Vozes dos gritos calados

Vozes dos dias agitados

Vozes que nada entendemos/

Vozes, vozes, vozes

Muitas vozes
Pouca gente para ouvir.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

7 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s