Mira dos loucos.

O que há debaixo da mina
Daquela que poucos vêem?

Há um submundo despudorado

Sem mente não se pode ver/

Quem passa por é explorado
Por pedras que acham explorar

Pedaço de terra tirado
Fica manchado quem frequenta o lugar/

Brilho e tinido na pedra bruta
Martela, martela que há de encontrar

Assim se alimenta a regalia
De quem vive no andar de acolá/

Explosão no subsolo o que importa é
Ouro, luxo e carvão

Veja só
O mineiro que cava
A defender seu pedaço de pão/

Se repete a história nos tempos
Nada de novo se vê nesse chão

Enquanto de um lado da mina uns

Fragmenta

Granula

Moe

Classifica

Concentra

A mina

Do outro lado outros

Concentra

Classifica

Moe

Granula e

Fragmenta

Os mineiros/

Todos soterrados
Assim se vive e morre

Na mira
dos loucos.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

5 comentários

  1. Às vezes é difícil encontrar palavras para tecer comentários em seus textos densos, profundos como minas…neste fico com os mineiros soterrados nestas terras em que vivo, destruídas pela ganância louca pelo ouro…grande abraço. Obrigado por partilhar seus textos…

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.