Vida de cachorro.

Vira lata sim senhor
Ando sem rumo e sem tempo
Revirando lixo
Tenho muitos nomes
E nenhum dono se quer
Sei atravessar a rua
E identificar más intenções
Corro da carrocinha
Facinho, facinho
Ninguém nem vê o meu fuçinho
Nessas ruas tem esconderijos
Que não conto pra ninguém
Tomo água da chuva
Nunca tive teto
Minha saúde é de ferro
Passo frio no inverno
Não tenho vergonha de pedir um frango assado
O que mais aquece minhas sensações
Minhas parceiras já sabem
Beleza não se põe na mesa
Vem aqui me conhecer
Sou osso duro de roer
Gosto muito de tudo isso
Até me acho espertão
Mas duro mesmo é acordar todo dia
E saber

Que se vive na contramão.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

13 comentários

  1. Nem posso acreditar, bem vinda! Estou certa que a blogesfera fica contente com suas postagens. Tenho imenso carinho por você, foi minha primeira seguidora, e de lá pra cá nunca parei de te seguir 😂😘

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.