Feminismo e misoginia – Em Pauta.

Dia Internacional da Mulher III

O quê: Feminismo e Misoginia.

Quem: Leandro Karnal.

Onde: Faculdade de Medicina, Unicamp.

Quando: 07.03.2017

Por quê: Essa palestra aconteceu no Dia Internacional da Mulher, no ano passado, na Faculdade de Medicina da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas). Nela o professor, filósofo e historiador Leandro Karnal aborda sobre a história da mulher ao longo do tempo e da misoginia.

Imagino que muitos conheçam esse professor que tornou-se um ser midiático, ele é portador de um humor irônico, e, como tantos outros que têm a coragem e competência para expressar opiniões, torna-se alvo de amor e ódio.

Para mim, o que mais importa é que ele é um estudioso que tenta nos passar as mensagens de forma clara e objetiva.

Nesse vídeo abaixo ele usa pinturas e esculturas, obras de artes da humanidade, para explicar o que é ser feminino. Fala também sobre o preconceito que segue a mulher através dos tempos.

O vídeo dura uma hora, nos primeiros trinta minutos há essa explicação através das obras de arte. Depois ele relata as opiniões misóginas de figuras como Shakespeare, Nietzsche, Erasmo de Roterdã. Passa pela primeira revolução feminista, as Sufragetts lutando pelo direito do voto. Chega nas idéias revolucionárias da filósofa Simone de Beauvoir (1908-1986), que no livro “O Segundo Sexo” diz que o olhar sobre o feminino é o olhar do homem sobre a mulher. Por isso, elas devem se libertar tanto da ideia da passividade herdada, quanto da ideia de quererem ser iguais aos homens. Por fim, o palestrante fala da mulher hoje na sociedade falocêntrica, o femicídio, o casamento.

Simone de Beauvoir

O que mais gostei: dele explicar através das obras de arte.

O que menos gostei: dele ter sido superficial quando falou da sociedade matriarcal na pré-história.

Minha grande descoberta: as pinturas realistas do alemão Lucian Michael Freud (neto de Sigmund Freud) da modelo Sue Tilley, uma mulher de 127 quilos bem resolvida com o corpo.

Sue: modelo e pintura. Nome do quadro: Benefits Supervisor Sleeping, 1995.

Frases marcantes

  • A mulher é para a cultura o corpo.
  • O Brasil é o país do mundo que mais produz e vende chapinhas.
  • É pesado ser mulher no Brasil, e é mais pesado ser mulher negra.
  • A primeira sensação humana é quando saímos do corpo de uma mulher chorando.
  • As guerras são feitas e lutadas por homens.
  • O patriarcalismo não some com os estudos.
  • Cavalheirismo é a forma sofisticada de domínio feminino

Leituras indicadas pelo professor:

  • Poesia do século 17, Homens Néscios, da mexicana Sóror Juana Ines de la Cruz.
  • Para Educar Crianças Feministas – Um Manifesto, livro da escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, editora Companhia das Letras.

Aqui⬇️o vídeo.

Obrigada pela leitura

Abraços cristalinos🙋🏽‍♀️

Cristileine Leão.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.