Os Seios.

Nasce de uma bolinha pequena e dolorida/

No peito reluz/

Cresce em forma arredondada e volumosa/

Nascente de atenção e prazer/

Vulcão em atividade/

Túrgido e tácito agem sob roupas, corpos e pensamentos/

Aura da mulher sobre o ventre sagrado/

Auréola de satisfação/

Farol que derrama sensualidade em bocas, toques e visões/

Fonte que alimenta, faz crescer a vida, do colostro ao cruzar de mãos/

Acolhe e recolhe/

Caem com a gravidade na senil serenidade/

Montanhas fabulosas com minas de contos e mitos/

Vivem latejando nesse corpo de mulher.

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional

10 comentários

  1. Agradeço! Sempre gratificante quando a poesia agrada o próximo com um toque de belo e/ou reflexão. Para isso que existe a arte e a vida, para o compartilhamento de experiências. Abraços 🙋🏽‍♀️

Que tal deixar a sua opinião?