Por um fio.


Há um fio tênue entre a loucura e a sanidade

Caminhamos por ele todos os dias

Equilibrando

Com, ou, sem equilíbrio

Sempre a buscar fluidez

Como a vida é bela, olhe ao paraíso…

Sempre a lidar com a ruptura

Estourou a bolsa amniótica, a bolsa de valores, a bomba atômica…

Nesses dias incongruentes

Tanta formatação

Nesse fio deslizante

Psiu! Não olhe para baixo

Deixa de ser negativa

Psit! Não olhe para cima

Pare de ser sonhadora

Caminhamos

Sem saber a hora

Da queda, ou, da chegada

Quem nos vê de fora

Imagina nossa tamanha estabilidade

Supérfluas suposições de espectadores

Em cima do fio tênue

O coração está disparado

A respiração ofegante

Suor e calafrios

No interno, o constante e intenso pensamento

De loucura

Quem nos vê de fora

Acha que nosso fio é mais grosso

Mas ele continua todos os dias

Tênue, tênue, tênue.

 

8 comentários

  1. “Há um fio tênue entre a loucura e a sanidade” – uma coisa que aprendi com a depressão é sobre o quanto é difícil e doloroso retornar a esse fio quando simplesmente ultrapassamos as barreiras que nos prendem dentro da sanidade… Enfim, lindo poema
    😊

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.