Biografia 

Escrever em versos pequenos faz o caminho deslizar

Já não sei se é rima ou se é vento

Por onde irei passar

Por onde o lápis me leva?

Lá a alma há de se lavar/

Fico solta nesse movimento

Como gosto desse balançar

Novas letras se juntam

Um poema a formar/

Os versos nasceram primeiro no papel, ou, em mim?

Sabe se lá, sei lá 

Não importa o meio/

Sou instrumento além tempo

Nesse ofício de criar

Cânticos de intuição

Rimas de interrogação

Clássicos irreais

Ficção reais/

Tudo pode

Nos versos

Que superam o inverno

E a bonança

Que passam por, e, acima

De tudo e todos

Como o sol e o tempo/

São tu incessantes versos

Os quais elaboram

Em cada um

A sua bio

Sou grafia/

Na biografia é

Nascer e morrer

Nos versos o puro e infinito

Viver.

4 comentários

  1. num aberto instante
    quando somos in)fluxo
    discorremos feito água
    a gota d’vida…
    o perene nesta…
    perecível existência…
    o temporal atemporal…

    Parabéns por despejar sua alma vívida… uma beleza em palavras, agora, eu lhe digo… 🙂 🦋

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.