Passeio no fundo do mar.

Na noite passada
Deitei ao som da chuva

Abri os ouvidos além tímpanos

Entreguei-me a sublime melodia

Fecundado a terra.

Depois fui para o fundo do oceano

Sentei no canto das algas

Fiquei contando os peixes a passar

Variedades de cores, formas e tamanhos.

Antes de adormecer

Fixei meus sentidos nas barreiras de corais

Coroada fui

Nas profundezas.

Ah, e a gente acha que desvenda tudo

Extenso devaneio

Veja só existe mais oceano

Que continente nessa Terra.

Enfim, mergulhei no sono

Esse mundo de tamanho universo

O oceano virou uma lua em órbita

Do meu planeta mórbido.

E a chuva a fertilizar

Enquanto me protejo dentro de casa

Não sou terra, não sou mar.

Desperto

Continuo aqui até não sei quando

De olhos abertos

A procurar meu lugar

De contemplação.

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s