Hector e a procura da felicidade – filme.

Nesses dias com nada para fazer, de férias, numa pequena cidade do interior de São Paulo finalmente assisti “Hector e a procura da felicidade”. Um filme alemão/canadense de 2014.

Digo finalmente porque eu já o havia citado nesse post O que é a felicidade? Mas só agora tive a oportunidade de ver. Como se fosse na sessão da tarde, faltou a pipoca, só mesmo na casa da mãe para ter esses privilégios (risos), depois que a gente se torna mãe tudo é diferente.

Eu gostei do filme, é engraçado, envolvente, comovente. Me lembrou o filme/livro Comer, Rezar e Amar, apesar de achar esse último “água com açúcar”, ou melhor, romantizado demais.

O roteiro de Hector foi baseado em um livro francês, Le Voyage d’Hector ou la recherche du bonheur, por François Lelord.

Conta a história de um psquiatra que entediado com a vida decide largar tudo e viajar à procura da felicidade. Até aí tudo bem. Quem aqui nunca se imaginou num sabático? Ser um Up nas Alturas, ou, um  Phileas Fogg?

A diferença é que o Hector foi com seu estilo de ser, mapa e mochilão nas costas, desajeitado com as pessoas, travado em si mesmo, ele foi.

Largou as paisagens londrinas, a bela namorada que lhe servia de Amélia de luxo, os pacientes com ou sem problemas.

Hector foi em busca do desconhecido, foi em busca do passado, foi se descobrir. Cada avanço ele anotava num caderninho, os quais deixo abaixo, porém, eles terão mais sentido no contexto do filme. Essas *anotações são seguidas de desenhos animados, tornando o filme mais indutivo. Outro primor são as palavras nas entrelinhas, o sarcasmo. Afinal não há piada sem ironia. Às quais foram bem impregnadas nas falas sem pré conceitos.

Fatos que me chamaram atenção:

  • No fundo, no fundo, somos crianças procurando entender o Todo.
  • A China comunista também é extremamente consumista.
  • Às vezes um rato vira o melhor amigo.
  • Dance, dance, dance.
  • Busque a felicidade na África, não só em Xangai, no Tibet e nos EUA.
  • Ajudar sem julgar pode salvar a vida do outro, e a nossa também. 

*Anotações de Hector: 

  1. Fazer comparações pode atrasar a sua felicidade

  2. Muitas pessoas acham que felicidade é ser mais rico, ou, mais importante

  3. Muitas pessoas só veem a felicidade em seu futuro

  4. A felicidade pode ser amar mais de uma mulher ao mesmo tempo

  5. As vezes a felicidade não está sabendo de toda a história

  6. Evitar a infelicidade não é o caminho para a felicidade

  7. Essa pessoa deixa você?

A) bem feliz b) triste

  1. Felicidade é responder ao seu chamado

  2. Felicidade é ser amado pelo que você é

  3. Ensopado de batata doce

  4. O medo é impedimento para a felicidade

  5. Felicidade é sentir se plenamente vivo

  6. Felicidade é saber como comemorar

  7. Escutar é amar

  8. A nostalgia não é o que aparenta ser.
    Enfim, recomendo que vejam esse filme para rir e refletir. Mais distração do que papo cabeça. A mensagem é de otimismo, de cor como na aurora boreal. Tudo o que mais precisamos hoje em dia: bom humor e confiança.  Mas, claro, se lá tudo acabar em pizza, lembre-se que na vida real ainda precisamos aprender a fatiá-la. Ou, será o contrário?

Este post não é uma resenha, é só uma opinião de quem está aqui de boa das tarefas diárias.  

Como tudo está rápido e obsoleto hoje em dia, o filme já pode ser encontrado no YouTube.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.