Abismo.


Vomito 

Ânsia divina 

Não entendo nada

Desses sinais.

Atravesso 

Sinal vermelho

Caio no despenhadeiro 

Deleite vôo.

Afino

Sorriso ao vento 

Ecos do fim.

Encontro 

Nas redondezas 

Pedras redondas.

Despedaço inteira

Corpo meio aos círculos 

Ecos de mim.

Sóbria e sombria

Decifro a ânsia 

Tarde demais

2 comentários

  1. Cris… sempre tão intensa e objetiva, transpassando em forma de poesia toda a universalidade do ser. Gosto muito de seus escritos, sempre tão reais e serios que resgata toda essa diferenciação imediata da contemporaneidade.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.