Ausência. 

Para retratar sua ausência

Jogo moedas em fontes

Faço promessas

Num santuário perdido

Subo a ladeira da esperança

Desço no escorregador do desassossego

Viro na esquina do nunca mais

Encontro você

Tão perto, tão longe

Sorrio como se nada tivesse acontecido

Caminho ao canto da solidão

A música que ouço é triste

Encolho em posição fetal

Onde as lágrimas fotografam a alma

Escrevendo poesia no chão

As quais só as nuvens sabem ler

Socorro, só eu corro, Socorro

Há fumaça na ausência

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s