Galáxia sem fim.

Dos mais antigos conhecimentos 

Que lhes foram entregues 

Desenhados em suas asas brilhantes

Escondidas dentro de si

Num elixir de

Pétalas de jasmim

Sonhos de conchas 

Perfume de estrelas 

Magnitude esmeralda com os

Sons do todo, e, do vazio

Tudo isso te coroei

Você não pode ver nada disso

Só com as sentinelas da tua face

Procure por outros cantos

Toda forma de encanto

Nas flores fluorescentes que

Estão perto quando se aprende a voar e

Reconhecer a magia em ti disposta.

Pingos de ouro hão de cair

De seus olhos quando descobrir

A chave que entreguei

Na floresta do seu ser

Regada por cachoeira de fantasia.

Enquanto não abrir tua porta 

Estarei cantando ao lado da fogueira

Esperando você mexer na palha

Da imaginação.

Pirilampos mostrarão o caminho

No meio desse banho de chuva

Para despertar a luz do teu amanhecer.

Nesse dia estarei em você 

Como uma luva

Tocando lirismo 

Meu pequeno violino

Estrelaremos nessa galáxia sem fim

Para quem mais

Quiser ouvir

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s