A Sopa.

Se soprei a sopa

Só meu Senhor

Sabia o sentido

Suava sempre

Seguindo a sina

São sete as setas

Superstições que

Solavancam as sensações dos

Seres simbólicos

Superficiais que buscam

Supremacia

Sol a sol

Sempre soprando a sopa e

Sendo soprados.

Sou pessoa e caldeirão que

Sangra e saúda na

Sala de jantar a

Saudade que no

Sabor na solidão traz a

Satisfação do silêncio e também

Sanciona a incompreensão do ser na

Sopa que se esvai.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s