Viver com depressão – Depoimentos 

Nessa entrevista de um programa televisivo de Portugal, “Conversa Sem Tabus” o tema é depressão.

Na primeira parte, a qual achei mais interessante, há depoimentos de quatro pessoas entrevistadas por uma repórter que lida com essa doença há vinte anos. Eles responderam essas perguntas:

  • Como é que você percebeu que algo não estava bem?
  • Quais sintomas depressivos sentia?
  • Como a família e os amigos lidaram com a situação?
  • Como é que se explica o que é passar por uma depressão para quem não sabe?
  • Acha que a depressão ainda é desvalorizada pelos outros?
  • De que forma a sua condição afetou sua vida profissional e pessoal?
  • O que gostaria de dizer às pessoas que não compreendem a depressão?

As principais mensagens que tirei:

  • Não é que as pessoas não entendem a depressão, é que elas são mal informadas.
  • Saber observar e diferenciar o próprio caráter/personalidade da doença depressão.
  • É natural que todos da nossa volta sofram com isso.
  • A medicação é importante nos picos depressivos, a psicoterapia fundamental no cotidiano para evitar tais picos.
  • É necessário a psicoeducação, as pessoas têm que se informar, conscientizar, aceitar o diagnóstico e principalmente se tratar para não se prejudicar gravemente.

Conclusão: fiquei pensativa com as perdas e danos dos depoentes (trabalho, casamento, vida social). Quanto ao estigma de “doença de rico”, do “vai procurar o que fazer”, o neuropsicólogo entrevistado explica que a depressão afeta mais as pessoas pobres por causa do pouco acesso aos bens (social, saúde). De fato, uns podem se cuidar melhor que os outros. Mas bom lembrar, todos vivemos nesse mundo e de uma maneira ou outra vamos nos relacionar. A depressão não está nem aí com o fato de ter dinheiro ou não, com idade, cor da pele, religião. Está aí crescendo, deixando marcas, nesse mundo aonde tudo pede um pouco mais de atenção.

4 comentários

  1. Olá Cristilaine… obrigado por compartilhar suas experiências sobre o assunto. Venho de uma família grande (11 irmãos) onde alguns já tiveram contato temporário e pelo menos dois têm a depressão na forma crônica (não sei se é correto dizer assim). Realmente devemos nos cercar de cuidados pois é um mal invisível e somente com muito amor podemos ajudar no tratamento. É sempre bom ouvir mais a respeito. Deixo aqui a minha gratidão… beijo no coração!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Sandro, comecei o blog como forma de desabafo, descobri que posso ajudar pessoas falando sobre isso e acima de tudo voltei fazer o que gosto que é escrever. Como diria aprendi sentindo na pele, mas lembro da agonia da minha família. Então, informo o que sei como maneira de replicar a compreensão. Mais outra vez obrigada por sua participação que sempre acrescenta os assuntos. Forte abraço 🙋🏽‍♀️

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s