Cinismo

Naquele dia vi Cinismo descendo do muro 

Após tomar forma de deboche, cochicho, risinhos

Caminhou pelo pátio com maquiagem

De salto e gravata 

Era contagiante 

Muitos lhe seguiam

Pregava superficialidade 

Rodava a bolsa

Usava plumas

Coçava a barba 

Olhava para os lados

Queria platéia 

Mas só enxergava a si mesmo

Cinismo fez arruaça 

Nesse mesmo dia

Só parou quando a sua filha

No meio deles, e para todos

Apenas lhe desmentiu

Cinismo saiu de fininho 

Ninguém nunca soube se 

Era ele ou era ela

E a fofa criança lhe seguiu

E seguiu, e seguiu 

Com aquela mochila pesada nas costas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.