Gente interligada.

Um dos artifícios do homem foi criar a inteligência artificial. Nossos bens passam por chips, desde os bancos até os robôs, para os mais diversos fins, aplicativos para diversão e saúde, relacionamentos por redes sociais.

O desenvolvimento da tecnologia que tanto nos apraz e auxilia, também poderia na mesma dimensão nos fazer repensar em

o que é ser humano“.

Na prática, a realidade é outra, tantas facilidades não nos põe perto da liberdade, autonomia e criatividade. E vemos a banalização do mal.

O encurtamento do tempo e da distância entre as pessoas, dessa geração “fast”, pouco nos tirou da raiz do individualismo que não nos deixa movimentar, suga nosso eu e nosso nós.

Somos árvores tentando nos manter em pé, por trás da casca grossa vive o medo e o instinto de sobrevivência. O que é normal, se não fosse os galhos frondosos que fingimos ter.

Só a sombra nos revela… não temos paz, só procuramos conforto.

Por quais meios nós veremos que árvore sozinha não faz floresta?

Nossa filha, a inteligência artificial, não precisa de férias,  alimentos, diversão, sempre está em movimento. Não precisa fazer fotossíntese.

Fizemos nossa criação que pode nos substituir: caixa automático, robô varrendo casas, linha de produção automatizada, sexo virtual. Tudo seria perfeito se soubéssemos ocupar nosso lugar no espaço…se soubéssemos ser pais.

Mas, agora tememos ser o Adão banido do paraíso. Estamos como a Eva na dor do parto, sabemos que nenhuma das tais pregadas inteligências (artificial, racional, emocional) nos fez desenvolver muito como ser humano, pois, nossos filhos continuam se matando como Caim e Abel de fome, de guerra, de preconceitos.

Religião, política e educação estão sendo devastadas, perdem e mostram pouco sentido num mundo voraz.

Falta o básico, e o que todos conhecemos muito bem, o que nos fez constituir a sociedade: falta a união.

Não mais, e só, a união por interesses. Como também a união que dê o caráter e o sentido de humanidade.

Unir é muito mais que juntar-se, unir é dizer me conheço e te reconheço como parceiro de caminhada. Vamos fazer o melhor para essa Terra. Unir é se dispôr a ajudar e ser ajudado. Não precisa de projeto, ou, inteligência mirabolante. É só praticar com alegria, fé e gentileza a tarefa de humanidade que nos compete no dia a dia.

Enquanto não houver consciência de que todos precisamos nos desenvolver juntos, seremos meros criadores de bens finitos, acumuladores de bens perecíveis.

Inteligente é ser gente interligada.

Lutemos contra a desumanização!

Para o sempre nós podemos deixar o legado da paz. Basta agir!

5 comentários

  1. Isso Amanda, seguimos pontuando que a meta é humanizar nossas relações, buscar a paz. Porque hoje em dia até as pessoas são tratadas como recursos descartáveis, vide nas empresas. Abraços e até mais.

    Curtir

  2. Muito interessante sua reflexão.
    Penso que o homem tem uma capacidade imensa em criar várias tecnologias, porém o avanço mais importante ainda está caminhando a passos letárgicos, que é o auto conhecimento, esse sim deveria ser mais desenvolvido, não percamos a fé e vamos seguir firmes.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s