Crescer como embrião.

​Cresce na bolsa o embrião 

Menor que a palma da mão 

Ossos, olhos, pés, sangue 

Nariz, genital, coração

Cérebro, articulações, unhas

Cada detalhe assinado 

Por dois genes

Derramados juntos

Num ato de prazer e/ou dor

Num profundo e misterioso infinito

Onde tudo é unido

Para a vida

Embrionária a origem de tudo

Inexplicada a nós terráqueos 

A qual uns atribuem a Deus

Outros a evolução das espécies

Uns ao cosmo, outros ao nada

Na cinesia constante 

Rompe a bolsa, corta o cordão 

Choro e leite…

Caminha o novo ser 

Na fé, na dúvida, na vida e na morte

Nos encontros

Unir, gerar e ser alguém

Nos desencontros

Nasce consciência e dominação 

Na cinesia constante 

Todo umbigo é único 

Mas ninguém é insubstituível.

Geneticamente duais somos

No corpo, na mente 

E a alma procurando desvendar

Os enigmas que nos rodeiam

A placenta que nos alimenta

Talvez será descoberta

Quando penetrarmos e gerarmos 

O senso de humanidade

Que espera na barriga da Terra

Crescer como um embrião.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.