Digital digitais.

Só lhe tenho na imaginação

Que te traz para dentro do meu colo

Te derrubo em afeto

Com meus seios caídos

Esparramados entre olhares

Vamos para lugares jamais visto

Te busco toda noite

Sinto teu contorno vindo

Tatuou na fogueira

Ardência do desejo

Não durmo e não vejo

Ajeito meu cabelo

E penso na forma

Das tuas mãos em minhas dobras

Alucinante presença viva que

Só tenho na imaginação

Será que um dia o encontro?

Será que virá real?

Será o mesmo encanto?

Sem óculos de realidade virtual

Vivo na sua digital digitais.

http://www.setembroamarelo.org.br

9 comentários

  1. Muito bom. Eu só não entendi sobre “digital digitais”. Um termo composto, ou duas palavras soltas(vírgula ou outra pontuação)?

  2. Belo poema! Reflete bem a busca por algo mais substancial em meio ao jogo das aparências que impera na Idade Mídia, uma busca que também é minha. Parabéns!

Que tal deixar a sua opinião?