Vida de(leite) e sonho.

Nos caminhos do horizonte 

Tudo era colorido

Terra à todos

Mar com sol 

Lua e névoa 

Nenhum mal 

Um amante encontrei

Diamante o chamei 

Num rasante abraço vou

Não pereço e nem enjôo

Vislumbro o canto

De seu encanto

Divido a paz

Que tanto apraz

Olho nos olhos

Dos muitos sonhos

Fruta madura é seu sabor

Derrama seu doce até na dor

Seu pranto produz solo fértil 

Na terra do tudo próspera 

Nada é inútil 

Nem flor caída 

A semente sempre revigora

Como a velhice vivida 

Raiz forte como dente

Que já foi dente de leite 

Vida de(leite) e lembrança 

Sem começo e fim

O caminho do horizonte

 Tinha gosto de infinito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s